IEQ Cervezão

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

“Eu Sou o que Sou”: A auto revelação de Deus

E-mail Imprimir PDF

 

 

 

 

 

 

Êxodo 3.15 “E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração”.

 

No mundo moderno, o nome de uma pessoa pode ser apenas um rótulo, sem revelar nada a respeito dela. Os nomes bíblicos, contudo, têm como fundo uma ampla tradição, segundo a qual o nome de uma pessoa oferece significativa informação a respeito de quem o usa. O Antigo Testamento, freqüentemente, celebra o fato de Deus tornar seu nome conhecido a Israel, e os Salmos, muitas vezes, elevam louvores ao nome de Deus (Salmos 8.1 “O SENHOR, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, pois puseste a tua glória sobre os céus!”, Salmos 113.1 a 3 “Louvai ao SENHOR. Louvai, servos do SENHOR, louvai o nome do SENHOR. Seja bendito o nome do SENHOR, desde agora para sempre. Desde o nascimento do sol até ao ocaso, seja louvado o nome do SENHOR”, Salmos 145.1 e 2 “Eu te exaltarei, ó Deus, rei meu, e bendirei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre. Cada dia te bendirei, e louvarei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre”, Salmos 148.5 e 13 “Louvem o nome do SENHOR, pois mandou, e logo foram criados, Louvem o nome do SENHOR, pois só o seu nome é exaltado; a sua glória está sobre a terra e o céu”). “Nome”, aqui, significa o próprio Deus, como ele se revelou por palavras e ações. No centro dessa auto-revelação está o nome pelo qual Deus autorizou Israel a invocá-lo, nome comumente traduzido por “O Senhor” (tradução do termo hebraico Javé, como os eruditos modernos o pronunciam, ou “Jeová”, como é, às vezes escrito).

 

Deus declarou esse nome a Moisés, quando lhe falou a partir da sarça que se queimava, mas não se consumia. Deus primeiro identificou-se como o Deus que tinha se comprometido numa relação de aliança com os patriarcas (Gênesis 17.1 a 14 “Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o SENHOR a Abrão, e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-Poderoso, anda em minha presença e sê perfeito. E porei a minha aliança entre mim e ti, e te multiplicarei grandissimamente. Então caiu Abrão sobre o seu rosto, e falou Deus com ele, dizendo: Quanto a mim, eis a minha aliança contigo: serás o pai de muitas nações;

 

E não se chamará mais o teu nome Abrão, mas Abraão será o teu nome; porque por pai de muitas nações te tenho posto; E te farei frutificar grandissimamente, e de ti farei nações, e reis sairão de ti; E estabelecerei a minha aliança entre mim e ti e a tua descendência depois de ti em suas gerações, por aliança perpétua, para te ser a ti por Deus, e à tua descendência depois de ti. E te darei a ti e à tua descendência depois de ti, a terra de tuas peregrinações, toda a terra de Canaã em perpétua possessão e ser-lhes-ei o seu Deus. Disse mais Deus a Abraão: Tu, porém, guardarás a minha aliança, tu, e a tua descendência depois de ti, nas suas gerações. Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência depois de ti: Que todo o homem entre vós será circuncidado. E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança entre mim e vós. O filho de oito dias, pois, será circuncidado, todo o homem nas vossas gerações; o nascido na casa, e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua descendência. Com efeito será circuncidado o nascido em tua casa, e o comprado por teu dinheiro; e estará a minha aliança na vossa carne por aliança perpétua. “E o homem incircunciso, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada do seu povo; quebrou a minha aliança”, depois, quando Moisés lhe perguntou o que deveria dizer ao povo quando este quisesse saber qual era o seu nome (pois os antigos supunham que a oração só seria respondida se o destinatário fosse nomeado corretamente), Deus, primeiro, respondeu: “Eu Sou o que Sou”; depois, abreviou para “Eu Sou”. O nome “Javé” (Senhor) soa como “Eu Sou” em hebraico; e Deus, finalmente, chamou-se a si mesmo “O Senhor, o Deus de vossos pais” (Êxodo 3.15 e 16 “E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração. Vai, e ajunta os anciãos de Israel e dize-lhes: O SENHOR Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, me apareceu, dizendo: Certamente vos tenho visitado e visto o que vos é feito no Egito”). O nome, em todas as suas formas, proclama a realidade eterna e soberana que se auto-sustenta e se auto-determina, ou seja, o seu modo sobrenatural de existência, que a sarça ardente representou (Êxodo 3.2 “E apareceu-lhe o anjo do SENHOR em uma chama de fogo do meio duma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia”). A sarça que não se consumia ilustrava a própria vida inesgotável de Deus. Ao designar “Javé” como “o meu nome eternamente” (Êxodo 3.15 “E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração”), Deus indicou que seu povo deveria sempre pensar nele como o Rei vivo, poderoso e sempre reinando, Rei que a sarça ardente o mostrava ser.

 

Mais tarde, Moisés pediu para ver a glória de Deus. Em resposta, Deus proclamou o “o nome”: Êxodo 34.6 e 7 “Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado, ainda que não inocenta o culpado”.

 

Na sarça ardente, Deus tinha respondido à pergunta pelo modo de sua existência. Aqui ele responde à questão de como podemos descrever as suas ações. Essa proclamação fundamental do seu caráter moral ecoa, com freqüência, em passagens posteriores das Escrituras (Neemias 9.17 “E recusaram ouvir-te, e não se lembraram das tuas maravilhas, que lhes fizeste, e endureceram a sua cerviz e, na sua rebelião, levantaram um capitão, a fim de voltarem para a sua servidão; porém tu, ó Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-te, e grande em beneficência, tu não os desamparaste”, Salmos 86.15 “Porém tu, Senhor, és um Deus cheio de compaixão, e piedoso, sofredor, e grande em benignidade e em verdade”, Joel 2.13 “E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR vosso Deus; porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal”, Jonas 4.2 “E orou ao SENHOR, e disse: Ah! SENHOR! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal”). Todas essas revelações são parte do seu “nome” e revelam a sua natureza, em função da qual ele deve ser reverenciado e glorificado para sempre.

 

No Novo Testamento, as palavras e atos de Jesus, o Filho encarnado de Deus, constituem a plena revelação da mente, do caráter e do propósito de Deus, o Pai (João 14.9 a 11 “Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras”). A frase “Santificado seja o teu nome“, na oração do Pai Nosso (Mateus 6.9 “Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome”), expressa o desejo de que Deus seja reverenciado e louvado como merece o esplendor da totalidade de sua auto-revelarão.

 

Fonte: Bíblia de Estudo de Genebra

 

Fale comigo: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Ou acesse: http://pgshama.blogspot.com/

 

 

Eventos Igreja

February 2020
S M T W T F S
26 27 28 29 30 31 1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
Banner
Banner

Untitled Document

 

Estudos para Pequenos Grupos Porção Diária para Igreja Porção Diária para Líderes

 
IEQ Cervezão Jesus Cristo Salva, Jesus Cristo Batiza com o Espírito Santo, Jesus Cristo Cura, Jesus Cristo em Breve Voltará. Igreja do Evangelho Quadrangular CervezãoGrande acervo de estudos evangélicos, mensagens, pregações, estudos em power point, ministrações, Diáconos, Diaconato, Intercessão, Batalha Espiritual, Coreografia, Ornamentação, Escola Bíblica, Louvor, Liderança, Homens e Mulheres de Negócios, ministérios, galeria de fotos, galeria de videos, crianças e adolescentes, eventos para Cristãos evangélicos Ministério: Pastor Valter e Pastora Regina Cidade de Rio Claro / Sp