IEQ Cervezão

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

  Servos genuínos, servos hipócritas


 


 

Mateus 24.45 a 51 “Quem é, pois, o servo fiel e sensato, a quem seu senhor encarrega dos de sua casa para lhes dar alimento no tempo devido? Feliz o servo a quem seu senhor encontrar fazendo assim quando voltar. Garanto-lhes que ele o encarregará de todos os seus bens. Mas suponham que esse servo seja mau e diga a si mesmo: Meu Senhor, se demora e então comece a bater em seus conservos e a comer e a beber com os beberrões. O senhor daquele servo virá num dia em que ele não o espera e numa hora que não sabe. Ele o punirá severamente e lhe dará lugar com os hipócritas, onde haverá choro e ranger de dentes".  

O Senhor nos manda passar o tempo de espera pela sua volta cuidando de seu povo e fazendo a sua obra neste mundo, dentro e fora da igreja. Essa é a melhor maneira de se preparar para a volta de Cristo.

Saber que a volta de Cristo será repentina nos ajuda a estarmos preparados, não devemos usar a demora como desculpa para deixar de fazer a obra de Deus (Mateus 24,36 “Quanto ao dia e à hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão somente o Pai”)

“Pranto e ranger de dentes” essa é a expressão usada para descrever o desespero que sentirão as pessoas que não seguem a Cristo ou abandonaram o caminho por causa da demora (mães vendo seus filhos sumirem, aviões caindo, trens desgovernados, carros batidos, ônibus caindo em buracos, etc.).

Introdução - Hoje falaremos sobre a diferença entre o servo genuíno e o hipócrita, segundo a ótica de Jesus.

O servo genuíno antes de fazer

Valoriza o ser, Mateus 24.45 “Quem é, pois, o servo fiel e prudente”.

O servo genuíno é servo por natureza e não por aparência (isto é, onde ele estiver ele é servo). O Senhor pergunta: “Quem é”? Antes de perguntar “O que faz”? Se alguém quer ser um servo fiel precisa primeiro passar pela experiência do novo nascimento. Depois disso, continuar recebendo com alegria a Palavra de Deus (porque a palavra de Deus é, luz, alimento, caminho, direção, salvação, restauração, renovação, verdade, vida, etc.) sempre desejando que o caráter de servo, vivido por Cristo, seja moldado em nosso ser. (Tiago 1.21 “Portanto, livrem-se de toda impureza moral e da maldade que prevalece, e aceitem humildemente a palavra implantada em vocês, à qual é poderosa para salvá-los”).    

 

Vive consciente de sua missão, Mateus 24.45 “que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo”.

Como servo ele sabe que não veio para ser servido, mas para servir. Sua função é a de ministrar sustento à casa de seu senhor, no devido tempo. A casa a ser servida é o mundo, necessitado tanto do alimento espiritual quanto do material (nós como servo temos sempre que ter alimento para oferecer as pessoas, tanto espiritual como material, pois o mundo encontra-se sedento e faminto, principalmente de Deus). Feliz o servo que percebe os dois tipos de necessidades e trabalha para supri-las da melhor forma possível, além de cuidar para fazer isso no seu devido tempo.   

Persevera no seu posto até o Senhor voltar, Mateus 24.46 “Bem-aventurado aquele servo que o seu Senhor, quando vier, achar servindo assim”.

O servo genuíno se esmera para vencer os embaraços do caminho, a fim de conquistar o seu troféu, servindo até o seu Senhor voltar. As seduções do mundo (nossa se viu aquele capítulo da novela, vamos curtir hoje amanhã se vai atrás de Deus, tem tempo), o comodismo (irmos à igreja por ir, por falta de ter outro lugar para ir ou por costume), o amor ao dinheiro (a não, se pregar sobre dinheiro está fora da visão, essa palavra não foi de Deus) e tantas outras pedras, se colocam como cilada no caminho de muitos. Mas o prudente saberá se desvencilhar de todas elas e alcançar seu objetivo.   

Será Recompensado Por Sua Fidelidade, Mateus 24.47 “Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens”.

Haverá uma recompensa futura para os que servem com fidelidade neste tempo presente. Não somente os galardões a serem recebidos no céu (1 Coríntios 3.8 “O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho”, Apocalipse 22.12 “Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez”), mas também as posições de autoridade no seu reino (Lucas 19.17 “E ele lhe disse: Bem está, servo bom, porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás autoridade”). Lutemos para alcançá-las!  

O servo hipócrita

Profere palavras aos homens diferentes das que diz no coração, Mateus 24.48 “Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu Senhor tarde virá”.

O servo hipócrita nunca teve a sua natureza mudada. Sua vida espiritual é somente fachada. Sua profissão de fé é diferente do que realmente crê no coração. Mais cedo ou mais tarde seus atos vão revelar o que se encontra em seu interior (Mateus 23.25 “Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês limpam o exterior do copo e do prato, mas por dentro eles estão cheios de ganância e cobiça”). Não adianta estarmos na igreja darmos gloria a Deus, orarmos em outras línguas, ajudarmos em tudo, mas quando chegamos em casa abrirmos a geladeira e pegarmos uma latinha, ou ligarmos a TV para vermos coisas que não agradam a Deus, etc.

Não ama a quem deveria cuidar, Mateus 24.49 “E começar a espancar os seus conservos”.

Por acreditar que o seu senhor não virá logo, então começa a maltratar a quem deveria servir. Maltrata porque a sua natureza é má, ainda dominada pelo ódio e pelas velhas coisas do homem não nascido de novo (às vezes Deus envia pessoas para cuidarmos e conduzir a salvação, mas ao invés disso damos as costas ou pior ainda acabamos espancando com nossas atitudes e palavras). (I João 2.9 “Quem afirma estar na luz, mas odeia seu irmão, continua nas trevas”).

Prova em seus atos ser amante dos prazeres, Mateus 24.49 “e a comer e a beber com os ébrios”.

O servo hipócrita, em vez de amar a quem seu Senhor ama, na verdade só ama a si mesmo, procurando viver sempre em função de seus próprios prazeres. Ele não segue o exemplo de Jesus que revelou o seguinte: João 6.38 “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou”, Salmos 1.1 “Como é feliz aquele que não segue o conselho dos ímpios, não imita a conduta dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores! Ao contrário, sua satisfação está na lei do Senhor, e nessa lei medita dia e noite. É como árvore plantada à beira de águas correntes: Dá fruto no tempo certo e suas folhas não murcham. Tudo o que ele faz prospera! Não é o caso dos ímpios! São como palha que o vento leva. Por isso os ímpios não resistirão no julgamento, nem os pecadores na comunidade dos justos. Pois o Senhor aprova o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios leva à destruição!

Na volta de seu Senhor será julgado por sua hipocrisia, Mateus 24.51 “E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas, ali haverá pranto e ranger de dentes”.

Uma vida de hipocrisia terá como galardão a sua parte com os hipócritas. Veja que essa pessoa não estará sendo julgada por qualquer falha relacionada ao seu trabalho como servo (pois mesmo como servos dedicados, sempre procurando fazer o melhor, cometeremos erros, mas sempre teremos o perdão do Pai ao nosso dispor). Não! Será julgada por ter vivido uma vida de aparências sem genuína conversão. O trabalho mal feito foi apenas uma consequência natural de uma vida vazia e sem Deus.

Conclusão - Vivamos uma vida autêntica, com sinceridade e livres de todas as máscaras. Sempre com temor do Senhor. Provérbios 1.7 “O temor do Senhor é o princípio do conhecimento”...

Fale comigo:  Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.