IEQ Cervezão

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

 Ética no louvor e adoração

 

louvor 

Louvor

1 - A música na igreja evangélica

Não é preciso entender de música, de notas musicais, de tom, duração, ou de instrumentos para analisar se a música está sendo benção ou maldição para a igreja. A música é muito utilizada nos cultos latinos (América do Sul) e em comunidades negras nos EUA e na África. No restante do mundo, a música evangélica tem menos expressão, até porque lá o povo tem um maior grau de instrução e quer mais ensino, cultura e conhecimento da palavra.

Aproximadamente metade do culto é dedicado ao louvor e adoração a Deus através de músicas, melodias, versos, hinos e poesias. Isto prepara as pessoas, que estão pensando em seus problemas, nas suas aflições, em suma, pensando nas coisas do mundo, para pensar em Deus e sintonizar seus sentimentos para o que está sendo apresentado no culto.

A outra metade é dedicado à Palavra de Deus, à pregação, ao convite da salvação, à libertação das enfermidades e dos problemas deste mundo. Desta maneira no Brasil, as igrejas evangélicas têm crescido em número e em membros.

Mas o que pode ser para louvor e benção, pode ser para maldição. Muitos de nossos músicos têm se tornado arrogantes e céticos, desobedientes e orgulhosos. Não oram, não se misturam, não participam de grupos missionários, da EBD, das reuniões e até das pregações. Quando é a hora da mensagem, saem até da igreja, ou se colocam em irreverência ao pregador, lendo algo, conversando, fazendo qualquer coisa, menos prestar atenção na mensagem.

Quando criticados rebelam-se. E a palavra de Deus diz-nos que a rebeldia é semelhante ao pecado de feitiçaria (1 Samuel 15.23). O consultar mortos e cartomantes, fazer macumba e despachos é o mesmo que se rebelar contra o pastor ou contra Deus.

A tal ponto pode chegar a maldição, que alguns pastores da comunidade evangélica acreditam fielmente que lúcifer, o arcanjo que caiu, era chefe do louvor nos céus. E que por causa de seu orgulho.

2 - Melodias em conjunto com a oração

Existem alguns músicos que conseguem dedilhar melodias na guitarra ou violão que podem ser colocadas como um fundo de um recitar de poesias, leitura da bíblia e orações. Esta melodia deve ser em volume bem baixo, para não atrapalhar o que se está dizendo. Desta maneira fica bonito de se ouvir. Mas nunca se deve cantar ou tocar com ela. Músico e pregador não podem concorrer por volume.

Da mesma maneira, quando se está cantando, alguém não deve estar falando ou orando no microfone. Ou um, ou outro.

Só se poderá tocar ou cantar junto com a oração se o pregador ou orador pedir. De nenhuma outra maneira.

3 - Volume

Um dos problemas maiores da igreja é o volume dos seus instrumentos. Muitas igrejas quase fecharam porque o volume de seus instrumentos é colocado alto demais. E o volume da guitarra normalmente é colocado acima dos demais volumes.

Alguns pastores resolveram este problema em suas igrejas, colocando a guitarra em uma caixa separada e acima e nas costas do guitarrista. Se lê quer por o volume bem alto, vai passar primeiro no seu ouvido para depois ir para a igreja.

4 - Senta e levanta

Principalmente nos estados do sul do pais, com pessoas mais formais, mais "frias" como os nortistas apregoam, executar músicas que apresentam muitos gestos, senta e levanta, anda para lá e para cá (por exemplo: "A cada momento"), pode ser um transtorno que eles ficam quando têm que fazer algo mais que bater palmas.

Todavia isto não é inconveniente, mesmo em dia de casa cheia de visitas, se compararmos com um problema maior: a intercalação de estarmos de pé e sentados.

Uma música de pé, outra sentado. Chama-se alguém para cantar e este pede para o povo ficar em pé. Depois de cantar pede que todos ficarem em pé. E assim vai. Sinal de clara desorganização, reunião mal preparada, dirigente mal preparado. Os membros e frequentadores esquecem mesmo das coisas de fora, dos problemas que tem no mundo, e seu descontentamento e sua raiva pode agora estar direcionado para os músicos.

Certa vez um pastor dirigente de denominação evangélica, numa reunião com muitos obreiros, pediu que todos se levantassem. Pediu que quem não fosse músico e dirigente de louvor se sentasse. E falou por meia hora aproximadamente, deixando os músicos e dirigentes em pé. Após advertiu que é assim que os membros e frequentadores se sentem quando eles (os músicos e dirigentes) pedem para que se fique muito tempo de pé.

Louvar de pé não significa que você louvará melhor que o seu louvor chegará antes a Deus. O ficar de pé é bom para uma melhor circulação do sangue, e para quando os hinos têm muitos gestos. O ficar de pé é aconselhável principalmente quando você quer que as pessoas fiquem em reverência:

Na leitura da Palavra de Deus. Na apresentação de uma autoridade na igreja. Na oração.

Nos demais casos, você poderá estar vulgarizando o ato de ficar em pé.

Por isto, dirigente de louvor: Selecione seus hinos. Selecione quem quer oportunidade, e quais hinos irão cantar.

Encaixe hinos avivados com hinos avivados, hinos calmos com hinos calmos.

Evite o senta e levanta na igreja. Isto pode gerar raiva, descontentamento e o pode fazer com que o Espírito Santo vá embora.

 

Deus abençoe poderosamente